Um dia em Sant Cugat

Sant Cugat é uma cidade que faz divisa com Barcelona, fica a apenas 20 minutos em trem da capital catalã. Apesar de pequena, é uma das cidades mais prosperas da Espanha.

A convite da prefeitura de Sant Cugat, eu passei um dia na cidade. Para minha surpresa, foi uma experiência muito legal. Descobri uma cidade cheia de história e coisas para fazer. Sendo assim, neste post proponho passar um dia em Sant Cugat e realizar 5 atividades.

Para ir a Sant Cugat não é preciso ter carro. É possível chegar em transporte público tranquilamente. Os trens de Barcelona para Sant Cugat saem das estações Catalunya, Provença, Sarrià e Muntaner. Estas são as linhas de trem: S1, S2, S5, S55. Desça na estação Sant Cugat.

Veja mais bate e voltas aqui: Bate e volta a partir de Barcelona.

O que fazer em Sant Cugat: 5 atividades

Visitar o Monastério de Sant Cugat:

Vamos começar o dia visitando o Monastério de Sant Cugat, o tesouro cultural do município. Vale a pensa resaltar, que o mesmo é considerado um dos principais exponentes de arquitetura religiosa, românica e gótica da Catalunha.

O monastério está formado pela igreja, claustro, campanário e abadia. A sua fundação remonta ao século IX, no contexto de expansão da ordem dos beneditinos.

A igreja está ornamentada com uma bela rosácea, copia da de Notre Dame de Paris. Essa mesma rosácea é uma das 3 maiores da Catalunha.

No interior da igreja encontramos um lindo retábulo, pintado por um dos maiores pintores catalães do período gótico: Pere Serrat. A lado do altar, encontramos uma das santa negra da Catalunha: Nsa. Sra. do Bosque.

Finalmente, chegamos ao claustro da igreja. Considerado um dos mais importantes da Europa, pela sua conservação. Antigamente, era um espaço reservado a vida monástica, um lugar de reclusão.

No centro do claustro encontramos as ruínas de uma igreja paleocristiana. As jóias do claustro são os 144 capitéis muito bem conservados, algo único na Europa.

A visita a igreja e ao claustro é gratuita. No entanto, não deixaria de pegar o audioguia ou mesmo fazer a visita guiada. Eu fiz uma visita guiada, com um guia doutor em história, muito maravilhoso, que me contou e mostrou muitos detalhes interessantes.

A saber: o audioguia custa 4 euros.

Todos os sábados, às 10h, tem visita guiada à igreja. Nos domingos, às 12h, tem visita guiada ao claustro. Cada uma das visitas tem um preço de 5 euros por pessoa, menores de 7 anos grátis.

Para mais informações entre no site do monasterio.

Mercantic:

Logo após a visita à igreja e o claustro, vamos até o Mercantic, um espaço dedicado a compra e venda de antiguidades e objetos curiosos.

Este mercado, original e único, está localizado em uma antiga fábrica de cerâmica. Conta com, aproximadamente, 125 comerciantes de antiguidades, objetos decorativos e vintage.

Na verdade, o lugar é mais que uma grande feira. É um espaço cultural com gastronomia, música e decoração. Além das lojinhas que estão dentro da antiga fábrica, ainda tem umas casinhas coloridas do lado de fora que se transformam em um autêntico mercado das pulgas.

Lojinha dentro de uma antigo forno de cerâmica

Uma das coisas que mais me chamou a atenção, foi a livraria El Siglo. Um grande sebo, com mais de 150 mil livros. Lá tem tanto livro, que nem estão catalogados. Se quiser algo, tenha paciência, e busque você mesmo.

Além disto, nesta mesma livraria rola música ao vivo, curso de cozinha e restauração. Ainda nos sábados e domingos, às 12h, rola um vermut musical.

Funciona de terça a sábado das 10h às 20h. Nos domingos de 10h às 16h. A entrada é gratuita.

Em conclusão, este mercado me lembrou muito a rua do Lavradinho, no Rio de Janeiro, e a feira do Brick, em Porto Alegre.

Do monastério ao Mercantic é possível chegar caminhando, o tempo médio é de 15 minutos. Se você for de trem, desça na estação de Volpelleres, trem S2.

Finalmente chegou a hora de comer! Você pode comer, por exemplo, em dos restaurantes do Mercantic ou ir ao restaurante que vou indicar.

Para mais informações entre no site do Mercantic.

Restaurante Matilda:

O Matilda fica no centro histórico de Sant Cugat, bem pertinho do Monastério.

Foto retirada da web do restaurante

O restaurante era uma antiga igreja e ainda conserva as bóvedas e a estrutura da mesma. Além disto, tem uma decoração de estilo modernista, do século começo do século XX.

Finalmente, a comida é mediterrânea e de mercado, ou seja, típica da Catalunha e com produtos de temporada e frescos.

Por outro lado, eles tem uma ampla oferta de cervejas artesanais. O menú diário tem um ótimo preço, 15,95 euros, com primeiro prato, segundo prato, sobremesa, bebida e pão.

Agora que você já terminou de almoçar, te convido a visitar o celeiro modernista de vinho.

Celler Modernista:

Este celeiro foi construído pela cooperativa de camponeses produtores de vinho de Sant Cugat, em 1921. O arquiteto foi Cèsar Martinell, discípulo de Gaudí.

Sendo assim, o celeiro tem uma arquitetura muito parecida com a do mestre. Está construído com tijolos à vista, uma técnica muito usada no modernismo, e com arcos catenários, usados com frequência por Gaudí.

Infelizmente, só uma parte do ambicioso projeto foi finalizada, pois faltou dinheiro para seguir.

A visita ao celeiro é gratuita. Dá para ver super bem o celeiro deste fora.

Horário de visita: sábados das 10:30 às 13:30 e das 16h às 19h. Domingos e festivos das 10:30 às 14:30. De terça a sexta somente se entra com visitas guiadas. Reserve as visitas por este telefone: 936 759 951.

Endereço: Carrer de Sant Medir, 24.

Casa Museu Cal Gerrer:

Antes de mais nada, tenho que contar que o museu está localizado em uma antiga fábrica de cerâmica. Sendo assim, o andar do subsolo está dedicado a produção de cerâmica dos antigos proprietários da casa.

Por outro lado, tem uma parte dedicada aos irmãos Cabanas -Alibau, três gerações de artistas de Sant Cugat, parentes do proprietário do museu. Desta forma, um dos andares alberga uma exposição dedica a fotografia de um dos irmão e as pinturas dos outros dois. Sob o meu ponto de vista, é uma visita interessante, pois nos dá a oportunidade de conhecer artistas locais.

No entanto, o grande chamariz do museu é a exposição dedicada a Marilyn Monroe, conhecida como arquivo Frederic Cabanas. Antes de tudo, é preciso dizer que fui guiada pelo próprio Frederic neste espaço e alucinei.

Frederic junto a sua coleção de livros, discos, fotos e objetos da grande diva.

À primeira vista, o espaço parece uma simples coleção de um amante da atriz. Desde já aviso que não! A coleção foi adquirida a longo de muitos anos, 35 para ser mais exata, e tem desde revistas até objetos usados pela atriz na vida e nos cinemas.

Para ter uma ideia, este foi o primeiro museu dedicado a atriz da Europa. Atualmente conta com a biblioteca mais extensa do mundo especializada na loira, são quase 2000 volumes. Sem dúvida, um lugar único para se conhecer e para saber mais sobre o grande mito de Hollywood.

Para mais informações sobre o museu entre no site.

Nosso passeio termina por aqui! Espero que você tenha gostado e tenha ficado com vontade de conhecer Sant Cugat.

Se você mora em Barcelona, não perca tempo! Se você está planejando uma viagem para Barcelona, coloca Sant Cugat no seu roteiro. É um bate e volta muito legal e pode ser feito em 1 dias, 1 manhã ou mesmo 1 tarde.

Salve este pin no Pinterest:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *