Turismo responsável com animais: é legal!

Quem vem a Barcelona não vai andar em elefante ou fazer fotos com tigres. Entretanto não posso deixar de escrever sobre o tema do turismo com animais. Eu nunca nadei com golfinhos, andei de elefante ou fiz fotos com tigres. Eu também nunca fui para lugares onde este tipo de atividade é comum entre turistas. Por sorte, eu aprendi sobre o turismo responsável com animais antes de cair neste tipo de atividade. O mais perto que cheguei de turismo com animais foi no Marrocos e Turquia. No primeiro os turistas fazem fotos com macacos e cobras e no segundo andam de camelo. Para começar eu nunca andaria de camelo, tenho medo que ele cuspa em mim. No Marrocos tive tanta pena dos macacos, pelo estado que estavam, que nem quis chegar perto para não chorar.

Palestra FAADA

Palestra FAADA

Ano passado, eu fiz um curso com a fundação FAADA, uma organização pelo defesa dos animais, e aprendi coisas que nem podia imaginar. Coisas tão tristes e tão fortes que não parei de chorar um minuto. Este ano, eu e os blogueiros da BCNtb, voltamos a escutar a FAADA e desta vez resolvi escrever um post sobre o tema. Quem sabe você, que está vindo para Barcelona, pensa um dia ir à Tailândia, ao Marrocos, à Indonésia, ao México e se depara com o turismo com animais e neste momento lembra do meu post. A gente não pode pensar que isto só acontece no país dos outros. No Brasil também existe turismo com animais. Fazer fotos com um filhote de jacaré é bem comum, por exemplo.

Vamos lá!

Nadar com golfinhos:

Uma das atividades turísticas mais comuns. Realizada, principalmente, em Cancun e nos parques de Orlando. Todo mundo acha legal e divertido passar a mão no golfinho e nadar segurando a barbatana. Mas não é! Para começar a crueldade já começa na captura destes animais. Ela acontece no Japão, onde são capturados e levados para um baía onde donos de parque aquáticos compram os exemplares. Os que não são vendidos são mortos. Tem um vídeo no youtube sobre a caça de golfinhos no Japão. Pode ver! Você vai ver que não estou mentido. Para fazer todas aquelas palhaçadas que você acha engraçado, os golfinhos são submetidos a um treinamento de fome. Ou seja, os treinadores deixam o animal com fome e quando ele aprende dão um peixe em troca. Você já reparou que durante os shows de golfinhos, depois de uma atuação, o treinador dá um peixe? O nível de suicídio entre os golfinhos em cativeiro é muito grande. Isto mesmo, você leu bem: suicídio. Os golfinhos estão submetidos ao estrés dos treinamentos e a fome o tempo todo e muito deles não aguentam e se matam. Lembra que eles são muito inteligentes. É muito fácil saber que eles não estão felizes, mesmo que pelo formato da boca pareça que estão sorrindo. Não é natural da espécie fazer palhaçadas dentro de uma piscina. Só por isto a gente já pode adivinhar que não estão felizes. Além disto, eles andam em bando, em família, e em um cativeiro convivem com golfinhos de outros lugares que não fazem parte da sua família. Já pensou no que isto pode gerar para eles?

Andar em Elefantes:

Se a caça de golfinhos é de cortar o coração, você nem imagina como é o treinamento de um elefante. Para começar um elefante caçado significa a morte de outros 5. Eles também andam em bando e quando um está ameaçado os outros correm para ajudar e nisto os caçadores matam os outros elefantes. Para você andar em elefante e vê-lo jogando futebol, os treinadores “quebram a alma” do elefante. Durante dias, o bicho fica preso em uma jaula minúscula e é violentado constantemente. Ou seja, por horas e dias, os treinadores batem no elefante e praticam todo tipo de atrocidade para domar o animal.

Os elefantes também não foram feitos para carregar pessoas. Qualquer carga de mais de 150 kg já faz um mal danado para a coluna deste bicho, que é muito frágil. Então, o teu passeio de elefante, que é super divertido, gera um sofrimento enorme para o animal. Isto não pode ser legal, né? E você já reparou que o treinador fica o tempo todo batendo com uma vara no bicho? E que muito deles estão presos por grossas correntes?

Fotos fofinhas com tigres:

Este é must do momento. Todo mundo que vai à Tailândia volta com uma foto feita com tigres no Tiger Temple. Para começar você deveria se perguntar se é normal ver tigres em estado “quase morto” para você se deitar em cima e fazer fotos. Quem tem gato sabe a dificuldade em fazer uma foto com ele. Sabe que os felinos só fazem o que querem. Imagina um tigre! Para começar este refúgio de tigre se diz um santuário de proteção e preservação dos animais. E o fato de ser administrado por monges budistas faz a gente acreditar na boa intenção do lugar.

Care for the Wild International fez um relatório sobre este lugar e constatou que os animais vivem em péssimas condições, que tiveram as unhas arrancadas para não machucar os turistas, que vivem em constante estrés e sofrem maus tratos dos cuidadores. Já se falou até que os animais estão topados. Eu até acredito! Como um felino vai ficar quietinho para eu passar a mão nele e tirar foto deitada em cima? O templo também já foi acusado de tráfico de animais, pois compra os tigres de traficantes. E a reprodução que fazem lá é só para ter mais tigres para exibição, já que não são um centro reconhecido e autorizado a praticar a reprodução para preservação da espécie. Eu vi que em Buenos Aires também tem algo parecido com o Temple Tigre. Meu conselho: Evite!

Fotos com animais:

Foto com animais não é legal. Principalmente quando ele é retirado do seu habitat e depois da foto colocado de volta. Isto gera muito estrés para o bicho e se é filhote, em muitos caso, ele pode ser rejeitado pela mãe. Já pensou nisto? Como eu contei no começo, em Marrakech, na praça principal, tem um monte de macacos para os turistas fazerem fotos. O estado dos animais é de chorar e as atitudes dos donos é bem questionável. Está claro que eles não tem nenhum tipo de apreço pelo animal e só querem ganhar dinheiro com ele. Se você tenta tirar um foto não autorizada o dono logo vem te pedir dinheiro ou brigar contigo. Conheço gente que foi fazer a foto e o macaco mordeu o dedo dela. Um animal só ataca quando se sente ameaçado ou está muito nervoso e sofrendo. Fala sério! Você não precisa de uma foto com animais, né?

Souvenir de animais:

A venda de animais selvagens é crime. Infelizmente, no Brasil e em muito lugares do mundo vemos crianças vendendo pequenos animais vivos para turistas. Eu me lembro de ter visto, nas estradas da Bahia, crianças vendendo Sagüis. Em outros países se vendem objetos feitos com marfim, casco de tartarugas e pele de animais em extinção. Não comprem! Lembresse que um animal, ou mais, teve que morrer para você exibir um brinco de marfim.

Gente, estes são só alguns exemplos de atividades turísticas com animais…tem muito mais! Tem até atividade cultural com animais que é uma aberração e as pessoas seguem fazendo porque é cultura. As touradas são uma delas, o Palio de Siena outro. Sabe o que é mais importante de tudo isto? É que a gente pode dizer não e pode com a nossa força de turista acabar com isto. Quando você diz não é um turista a menos que eles vão ter e, quem sabe, um animal a menos sendo maltratado. Tem muitos lugares neste mundo onde a gente pode ver elefantes, tigres e outros animais exóticos de uma forma responsável… e não estou falando de zoológico. Estou falando de centros de preservação e resgate de animais que são sérios. Fique de olho, porque tem muito centro falso. A FAADA, em sua web, tem um mapa interativo de onde você pode conhecer os possíveis problemas com animais no país que vai visitar. Eles também indicam lugares responsáveis para ver e interagir com animais. Isto sim é legal. Se informar antes de ir é o melhor que você pode fazer!

Entre no site da FAADA.

Seja um turista responsável! Está nas nossas mãos!

Comments
  1. Avatar5 anos ago
    • Avatar5 anos ago
  2. Avatar6 anos ago
    • Avatar6 anos ago
  3. Avatar6 anos ago

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *